(83) 8692-5991 / (11) 9.9906-0896 — [email protected]

Quem deve escolher a música que toca durante a sessão de uma Tattoo? O cliente ou o tatuador?

(arte de capa por Zechs Art)

Bom, se você clicou aqui esperando que eu daria uma resposta definitiva pra essa pergunta tão importante, que te fez pensar muito (eu sei que você pensou bastante) saiba que eu também estou pensando muito e não tenho uma resposta. Mas você pode refletir junto comigo.

Escutar uma música que não nos agrada é chato demais, né? Imagina ter que escutar canções desagradáveis em um momento tão magistral como o momento da execução da sua Tattoo? Mas imagine também o lado do artista – será que é agradável pra ele executar um trabalho que exige tanta concentração, técnica e responsabilidade, ouvindo uma música que não o agrade?

Saiba que muitos artistas escutam músicas durante o processo de criação, e essa experiência é crucial pra que suas obras fiquem do jeito que eles querem. Pollock e Miró, por exemplo, se encaixam nesse perfil.

Pollock, sendo fotografado no meio de uma de suas criações.
Joan Miró, em seu local de trabalho, admirando uma de suas obras.

 

Você pode fazer o sacrifício de ouvir uma música que não te agrade durante o seu processo de tatuagem, tudo pelo bem da arte.

Tatuagem feita pelo @vinivlj

Aliás, eu que estou escrevendo essa matéria prefiro que o artista escolha a música – talvez isso faça eu me sentir u]m quadro, aumenta o poder da entrega do corpo para o trabalho, ou do corpo para o artista. Mas claro que isso não é uma máxima, é apenas a minha opinião, o que vale é você entrar num acordo com o tatuador ou tatuadora.

O que vocês pensam a respeito dessa questão? Deixem sua opinião nos comentários, e não esqueçam de seguir a provokeativa no INSTAGRAM